sábado, 23 de janeiro de 2016

Resenha: A Culpa é das Estrelas

Eu sempre sou a atrasada né? Cá estou eu pra fazer uma resenha de A Culpa é das Estrelas, depois de toda aquela febre ter passado. Lembro que em 2014 só se falava nesse livro. Todo mundo na escola tinha seu exemplar, e por a internet eu sempre via várias FanArt's da Hazel e do Gus. ACEDE foi um sucesso total, ganhou até adaptação para as telonas. Encarei uma sessão de cinema lotada só para ver o filme de que todos estavam falando. Fiz resenha na época, se quiserem ver é só clicar aqui

Acho que só agora entendi o por que de o livro ser amado por tantas pessoas, A Culpa é das Estrelas fala de uma doença terrível da forma mais leve possível. Um daqueles livros que resiste ao tempo sabe? Não é só mais uma história sobre câncer, é algo único. Deu pra perceber que essa resenha vai ser uma rasgação de seda total né? haha. Mas primeiro, vamos a sinopse:

Sinopse:

Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.
Acho que ainda não tenho palavras o suficiente para descrever esse livro. Pra começar, fazia um bom tempo que eu não lia algo com tanta rapidez. Mesmo sabendo cada detalhe da história, eu ficava sempre ansiosa pra ler o próximo capitulo. E assim que me aproximei do final já comecei a sentir falta desses personagens maravilhosos.

A história é toda narrada por Hazel Grace, uma jovem que mesmo sendo considerada uma espécie de milagre, não pode ser curada. A forma com a qual ela conta a trama é maravilhosa, a própria fala em um dos capítulos do livro que nós podemos escolher como queremos contar uma história triste, e essa é especialmente divertida e leve. Porém, sua mãe acredita que ela esta deprimida, e resolve obriga-la a frequentar um grupo de apoio. É la que ela conhece Augustus Waters, um garoto que já esta curado do câncer. Ele é bonito, divertido e cheio das metáforas haha. Os dois começam uma amizade que, obviamente, se torna um romance. 

''Me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra.''
No inicio Hazel reluta em aceitar a tal relação, afinal, ela é uma ''granada'', está prestes a explodir e quer deixar o minimo de vitimas possível. Mas Gus é convincente, e eles passam a compartilhar um com o outro seus medos, seus pensamentos sobre a vida, a morte e a doença que os dois conhecem muito bem. Os diálogos são ótimos, divertidos e sarcásticos.

Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você.
– Augustus Waters
Boa parte do desenvolvimento da história se deve ao livro Uma aflição Imperial, do qual os dois personagens são fãs. Hazel e Gus partem para Amsterdã em busca de algumas respostas sobre o desfecho da obra de Peter Van Halter. A cidade tem uma grande importância em A Culpa é das Estrelas, é por lá que muitas coisas acontecem. Ah, e pra quem assim como eu ficou curioso sobre o livro que John Green cita, saibam que ele não existe, uma pena, por que seria maravilhoso.

Acho que mais nada é spoiler sobre esse livro, afinal, todo mundo já conhece a história. Mas a ultima coisa que conto é que em Amsterdã uma revelação muda o rumo das coisas (e te parte o coração). 
Os personagens secundários são muito bem desenvolvidos, principalmente a mãe de Hazel, que parece viver em função da doença da filha. E o melhor amigo de Gus, Isaque, que é muito divertido e responsável por alguns momentos cômicos do livro.

Enfim, A Culpa é das Estrelas é um daqueles livros incríveis que te fazem chorar e rir ao mesmo tempo. É um romance indicado para todas as idades, não só para jovens. Ele ira te fazer refletir sobre o amor, e principalmente, sobre a vida.

Eu indico até para as pessoas que já assistiram ao filme (alias, a adaptação foi extremamente feliz). A leitura vale muito a pena.

''Mas, Gus, meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso.''

Trailer do filme:

Espero que tenham gostado da resenha! Beijos e até o próximo post ♥

3 comentários:

  1. Amei o post.
    Sou nova no blog, mas já amo !
    Ei, eu te recomendei pra responder uma tag no meu blog,
    espero que aceite.
    Beijos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha só, que menina inteligente.
      Esqueci do link do blog:
      agarotaperfeita2.blogspot.com

      Beijos linda
      <3

      Eliminar
    2. Oi Kelly! Que bom que curte o blog :)
      Obrigada por me indicar para a tag, assim que que possível vou responde-la e deixo o link la no seu blog ok?

      Beijos.

      Eliminar